Ygraine

31 jul
    O sol brilhava como num dia de verão, fazia tempo que não brilhava assim. Eu tinha acabado de acordar no meu apartamento minúsculo, uma mulher bonita estava na minha cama, mas eu não lembrava o nome dela. Levantei e vesti uma bermuda, ela continuava imóvel, até que eu ouvi, ela ouvi, o prédio todo ouviu aquele disparo. Sai do meu apartamento ás pressas o andar todo estava lá, todas as portas abertas, todo exceto uma, a da moradora a minha frente, Ygraine, um nome estranhos numa pessoa estranha, morava aqui antes de mim, a portava continuava fechada enquanto as pessoas sussurravam, eu pedi que todas se afastassem e chutei a porta, que caiu na hora, eu não sou tão forte, as portas desse cortiço é que são fracas demais. Lá estava ela, ensanguentada a arma a seu lado, caída no chão parada, ambas estavam assim. Agi impulsivamente e chequei seu pulso ela estava morta. Comprimidos espalhados.
Voltei pro lado de fora, alguém já tinha chamado uma ambulância, sentei perto da minha porta e observei toda a movimentação. “Pessoas fracas fazer isso” dizia o velhinho do andar a acima. “Ela era mesmo estranha, eu já sabia que algo assim aconteceria” disse uma mulher gorda que morava ao lado de Ygraine a pouco tempo. “Todas aquelas tatuagens eram sinais do demônio”. “A pobre coitada vai direto pro inferno”. Tentei não ouvir, não identificar aquelas vozes. A mulher que estava na minha cama sentou-se ao meu lado.
– Vocês eram amigos?
Eu apenas balancei a cabeça negativamente. Mas nós éramos, eu era o mais perto de um amigo que ela tinha naquele prédio. E aquelas pessoas que estavam a julgando não a conheciam, mal sabiam pronunciar seu nome, o que ela fazia da vida, não sabiam de nada e continuavam julgando. Eu não posso ter certeza sobre os motivos que a levaram a tirar sua própria vida, mas de uma coisa eu tenho certeza ela era um boa pessoa, ela amava, tinha perdido os pais a pouco tempo por isso as tatuagens, e fazia bolo de chocolate melhor que qualquer outra garota, eu a teria chamado pra sair, se ela já não tivesse me impedido antes de tentar.
Eu não acredito que ela vá pro inferno, e eu não vou ficar aqui dizendo que não consigo entender por que ela fez isso ou que ela era uma pessoa fraca, o que eu não entendo são essas outras pessoas ao redor, elas estão tão quebradas, tão danificadas quando Ygraine e eu não entendo como elas não piram vez ou outra, porque continuam sendo arrogantes com os outros, ou dormindo com mulheres da qual não lembram os nomes, elas, eu, simplesmente sorriem e fingem. Ygraine ao menos teve a decência e coragem de fazer alguma coisa. Eu só sinto muito que ela não tenha aproveitado essa manhã de sol.

#FIKADICA:
Tá rolando inscrição pra moderação lá no Blorkutandohttp://migre.me/11gXD
E Promoção junto com a Tanra no BlogPshttp://migre.me/X8lG
Anúncios

20 Respostas to “Ygraine”

  1. Daninha 31 de julho de 2010 às 11:27 pm #

    Gostei do seu texto.As vezes ate nós erramos e acabamos falando das pessoas sem nem mesmo conhecê-las.Beijos

  2. Juliete Souza 1 de agosto de 2010 às 8:17 pm #

    Gostei muito do texto. Também acho que as pessoas não sabem nem a metade do que acontece com as outras e insistem em julgar. Teu texto me fez até pensar. Gostei muito dele.=D

  3. Jota 2 de agosto de 2010 às 2:08 pm #

    Cara, um dos textos mais pesados que você já escreveu. Ele abre um leque gigantescos de reflexões, mas essa última fala do rapaz me fez pensar: será que realmente um suicídio é objeto de força? Vou pensar sobre isso.Beijos ;**

  4. Artie 3 de agosto de 2010 às 12:38 am #

    poxa…que texto triste…e é facil julgar as pessoas sem conhecermos…mas no final das contas…é o que todo mundo faz

  5. @maylcaps 4 de agosto de 2010 às 12:52 am #

    Esse texto da um back na gente,mais tipo é assim,as pessoas mais erradas,talvez as mais falsas são as que mais julgam.Mais são acredito que tirar a própria vida seja um ato de coragem,mais acredito que quem faz isso,é por que se sente só e acha que não tem significado nenhum,por isso morrer talvez seja a melhor maneira de chamar a atenção ou ao menos acabar com a dor. Belo blog to seguindohttp://ialternativegirl.blogspot.com/

  6. Thaíse L. 4 de agosto de 2010 às 2:57 pm #

    Aí que lindo.Ameii

  7. Carolina Hermanas 4 de agosto de 2010 às 8:59 pm #

    Julgar é mais fácil do que conhecer,né não?♥

  8. 'Ariane .( lla Belle )' 5 de agosto de 2010 às 3:51 pm #

    Faz tempo que não entro aqui, mudou bastante eeee julgar sem conhecer é sempre um erro, =x

  9. Buoh 7 de agosto de 2010 às 4:36 am #

    Dizem que quem escreve sobre coisas dramáticas e tristes, tem alma de poeta. Seus textos mostram isso em você. Adorei, já estou te linkando, no meu bloguinho: http://cherryexplosion.blogspot.com/ . Se você aceitar fazer uma parceria, POR FAVOR ME AVISE. Deixe um coment no meu blog. bjux flor

  10. Michelle Nazar 7 de agosto de 2010 às 1:26 pm #

    Gêsa! Se talento em fazer cada um de nós pensar é único! Gosto demais dos seus escritos..E vale a máxima.." não permita a nada nem ninguém te fazer infeliz!". Seu post é isso..é fazer nos livrar das amarras das palavras dos outros! Bjks 😉

  11. Tiêgo 8 de agosto de 2010 às 1:20 am #

    Acho uma coisa tão feia julgar antes de conhecer… Ainda mais quando se acontece uma coisa trágica dessas e as pessoas continuam falando! Parece mentira, né?Adorei seu post! Lindo! *–*Um beijo :*

  12. Vanessa 9 de agosto de 2010 às 1:02 pm #

    Mega interessante este texto, :).As pessoas falam o tempo todo mas não tem nada a dizer. Julgam sem saber o pq!

  13. Elisa Mucida. 10 de agosto de 2010 às 1:19 am #

    Adorei o seu texto. Meio triste, mas ficou super legal! Às vezes a gente julga demais quem a gente nem conhece e isso é um dos piores defeitos que uma pessoa pode ter.Beeijos :*

  14. Rafael 10 de agosto de 2010 às 8:11 am #

    Eu não gosto de sol.

  15. Drikaa.! 11 de agosto de 2010 às 1:52 pm #

    Noossa adorei seu texto, voc escreve muito bem. está de parabens *-* Too te seguindo hehe beijos até mais

  16. Bárbara Garcia 11 de agosto de 2010 às 6:26 pm #

    Ficou muito legal esse texto, o ambiente é diferente e você apresentou os detalhes bem aos poucos, muito interessante.Beijos.

  17. Duanny!. 12 de agosto de 2010 às 8:34 pm #

    owwwn…lindo lindo lindo*–*e criativo.adoro coisas assim, sabe?HAUAHAUAHAUSA

  18. Catarina 14 de agosto de 2010 às 12:19 am #

    oi tudo bem? eu tenho um blgo assim como você e adorei o seu! vamos fazer parceria (é o seguinte eu pego seu banner e você pega o meu, assim trocamos divulgação) você entra lá ler meu blog, e nos segue! agradeço espero respostahttp://kah-catarina.blogspot.come-mail: catarina_familia@hotmail.com

  19. S.S. Brunna 14 de agosto de 2010 às 12:49 am #

    Escrevi um texto sobre essa de julgar no meu blog hoje também… E, bom, julgar sempre é mais fácil. Nem sempre conveniente. Nas maiorias das vezes estamos errados… 🙂

  20. Maria Carolina 15 de agosto de 2010 às 6:02 pm #

    Meu Deus, que lindo. O conto em si ficou uma beleza e também a mensagem que você passou: eu não acho que o suicídio, como no caso do conto, seja a melhor alternativa, mas com certeza julgar é bem pior que tirar sua própria vida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: