Estranhos.

19 out

        É sábado à noite, saio com essas pessoas não tão legais só porque não tenho nada melhor pra fazer, vou àquela festa ainda menos legal, mas fica perto da sua casa e talvez, com um pouco de sorte, você passe por lá. Mas você não passa. Então fico a festa toda com aquela pontada estranha no peito toda vez que alguém passa pela porta, até que é a minha vez de fazer o mesmo, só que no sentido contrário.

       Volto pra casa chateada por não ter te visto, chateada por não ter aproveitado a festa, chateada por ter saído de casa, pelo visto nada ia me satisfazer mesmo. Estou pronta pra dormir quando meu telefone toca e seu nome aparece na tela junto com uma foto onde você exibe uma língua enorme que sempre me traz lembranças.

         Atendo como se meu telefone fosse um daqueles telefones públicos, como se eu não soubesse quem era, como se não fosse pra mim. Você me chama de linda, pergunta como eu estou, diz que sente minha falta, mas fala de uma forma tão trivial que eu não consigo entender do que exatamente você sente falta. Será que nos tornamos apenas estranhos?

         Pergunto sobre o seu dia, você fala sobre a faculdade, o trabalho. Mas, sabe muito bem que não é disso que quero saber. Ficamos sem assunto então eu comento sobre a festa. Você responde que sabia, mas não dá muita bola. Fico chateada pelo seu desinteresse e te digo que preciso desligar. E como se tivesse sentido que eu precisava justamente disso pergunta se posso sair qualquer dia, tomar uma cerveja. Digo que sim, mas sei que isso não vai acontecer, no minuto em que desligarmos você vai voltar pra ela, eu vou voltar pra mim e permaneceremos assim até que algo estranho faça você me ligar outra vez.

           Ficamos calados um tempo, ouvindo apenas o nada. Você se despede me chamando de algo, que só você tem permissão de chamar, somos então estranhos conhecidos.  Fico sentada na cama imaginando que você está ao meu lado e que diz repetidamente a mesma coisa, fecho meus olhos e durmo. Com sorte vou sonhar com você e com um tempo que eramos bem mais.

Anúncios

4 Respostas to “Estranhos.”

  1. Mylla 19 de outubro de 2011 às 3:59 pm #

    Gostei do modo como tu escreve. Meio que perdi o hábito de ler blogs com textos assim, então foi uma surpresa agradável ter encontrado esse post. 🙂 Ele fez eu lembrar de uma música, aliás. You Keep Me Hanging On e seus milhares de covers. Acho que se encaixa perfeitamente nessa situação, nesse tipo de ligação. Enfim, divaguei aqui. Haha.

    :*

    http://hey-london.blogspot.com

  2. Anderson 22 de outubro de 2011 às 9:45 pm #

    gostei do texto, você é muito criativa!

  3. itm 22 de outubro de 2011 às 9:49 pm #

    Amo textos assim ^^

  4. Dinha Cavalcante 22 de outubro de 2011 às 11:36 pm #

    Uau, você escreve muito bem! Adorei o texto, emocionante e triste, infelizmente. Amores e fins de amores são sempre complicados.
    http://www.dinhacavalcante.com/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: